E ainda falam que não é preconceito!

kibe

O SPFW é famoso por estrelar em sua passarela marcas e modelos de todos os tipos, e recentemente o evento criou uma cota de 10% para modelos negros. O objetivo é fazer com que grifes reservem 10% da contratação de modelos para afrodescendentes e indígenas. A decisão tomada pelo Ministério Público Estadual de São Paulo com o intuito de integrar os povos – tipo ONU sem sucesso e totalmente discriminatório –  não agradou nem aos fashionistas do evento, que também concordam que isso por si só já se tornou um tipo de segregação racial.

Considero eu que, não é criando “cotas” para negros, indígenas, e o que for, que o povo será menos excluído, menos oprimido. A questão está na mentalidade cultural de cada, assim sendo não adianta criar métodos para tentar inserir na sociedade forçadamente. De certa forma acaba gerando um preconceito maior ainda, pois leva ainda a pensar que certa pessoa está em certo lugar ou em certa posição somente por ter certa cor de pele, característica etc. E não é bem assim que uma sociedade plena deve seguir. Devemos nos conscientizar de que realmente todos somos iguais perante o mundo e que não há nada que distingua se alguem é mais capaz ou menos capaz do que outra.

Anúncios
Esse post foi publicado em Política, Sociedade e marcado , , , , , , , , . Guardar link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s